Carreata termina em agressões e continua na Delegacia.


Neste Domingo,15/07/2012, uma confusão enorme devido a politica municipal chegou até  Delegacia de Remígio, um dos Pólo centralizado onde no momento da confusão estavam apenas um Agente e um Escrivão, já que o Delegado plantonista encontrava-se em outro municipio realizando um procedimento com o outro Agente.
Por volta das 17h00min, SIZENANDO, mais conhecido por “NETO” (Policial Militar), JAILSON e “URÊIA”, compareceram a esta Delegacia, a fim de registrar Boletim de Ocorrência relatando agressão sofrida durante carreata da candidata do PSL. Que o Policial Militar- NETO informava ter sido agredido fisicamente pelo genro da candidata, conhecido por NORMANDO.
Durante o período em que esperavam para registrar a ocorrência, adentraram na Delegacia Normando acompanhado de outras pessoas, foi quando iniciou-se uma confusão generalizada dentro da Delegacia.
Os policiais Civis de plantão tentaram de todas as formas manter a ordem no recinto mas eram muitos os envolvidos, todos exaltados, se agredindo mutuamente;

Foram feitos pedidos de reforço policial, via rádio e telefone, mas a situação estava se estendendo muito, ficou bastante crítica, como eram apenas dois policiais civis presentes, os mesmos tiveram que se utilizar de meios necessários para conter a multidão enfurecida.
Após conter os animos dos exaltados os policiais pediram para que todos se retirassem do interior da DP, sendo atendidos aos poucos.
Que por prudência mantiveram o NETO e o JAILSON dentro da Delegacia, entretanto, o NETO escalou o muro lateral que dá acesso à casa do mesmo (a qual se localiza vizinho à Delegacia) e pulou para o outro lado.
A confusão continuou do lado de fora, com muito mais pessoas envolvidas. Várias pessoas que acompanhavam a carreata da candidata vieram até a frente da Delegacia e da casa do NETO, gerando uma desordem ainda maior.
Nesse momento Policiais Militares chegaram ao local e ajudaram a refrear os ânimos.
Relata-se ainda que durante a confusão no interior da Delegacia foi possível identificar as pessoas de NETO, JAILSON, URÊIA, LORINHO, LENILDO, CLÁUDIO RÉGIS, MANOEL DO ALUMÍNIO, NORMANDO, HUMBERTO, WOFAGON, entre outros, estimando-se cerca de quinze a vinte pessoas.
Que com a chegada do Delegado Plantonista, Bel. Omar, foram formalizados dois TCO’s, pelo crime de lesão corporal e ameaça. Que o Bel. Omar pediu para que o restante dos procedimentos fossem agendados para serem formalizados no dia seguinte, tendo em vista que várias pessoas manifestaram o interesse em assinar representação.

"Vale salientar que a política local na cidade de Remígio é muito fervorosa, em anos anteriores já foi utilizada o apoio de grupos especiais da Polícia e mesmo assim a população apedrejou as viaturas policiais, neste caso seria interessante um contingente maior de policiais em dias de carreatas, comícios na cidade ou então a proibição para o bem público da população"--Admin

vejam o que saiu na mídia
O encontro de militantes de forças políticas contrárias, quase terminou com tragédia durante uma carreata no município de Remígio, na tarde deste domingo. Após tumultos e muitas agressões o caso foi parar na delegacia.

De acordo com a Polícia Militar do município, a confusão começou no momento que os partidários da candidata Wanessa Regina (PSL), que é filha de um ex-prefeito e apoiada pelo atual gestor do município, Cláudio Régis, se desentenderam com opositores no centro da cidade.

Os opositores alegam que foram agredidos “pelo simples fato de estarem observando o evento na calçada”. Até o genro da candidata a vice-prefeita, identificado como Normando, teria descido do carro para praticar a agressão.

No conflito, até um policial militar, conhecido por Sizenando Batista Neto, chegou a ser agredido fisicamente. Ele teve a camisa rasgada e sofreu várias escoriações pelo corpo.

Testemunhas também relatam que até o prefeito estava descontrolado e embriagado também partiu para a pancadaria contra os adversários agredindo-os com socos e pontapés. A assessoria do prefeito desmentiu as acusações. De acordo com os simpatizantes, o tumulto teria sido gerado pelo próprio soldado da Polícia Militar, que apesar de está fora de serviço, estaria armado e intimidando os participantes da coligação.

 O caso foi registrado pelo delegado Omar José - de Nova Floresta - que estava no plantão na 7ª Delegacia Regional em Picuí. Nesta segunda-feira, os envolvidos deverão ser ouvidos pelas autoridades policiais do município.

Clickpicui com Portal Correio