Perseguição policial entre as cidade de Cuité e Nova Floresta apreende carro com restrição judicial e apreende jovem já conhecido da lei.


 Por volta das 10:00 horas do sábado,29, policiais da ROTAM do 9º BPM estavam na cidade de Cuité/PB realizando rondas próximo ao posto de Combustível da saída da cidade sentido a Nova Floresta, quando um veículo passou em atitudes suspeita e deu uma arrancada, momento em que a guarnição iniciou uma perseguição a fim de saber porque os ocupantes do carro teriam corrido. Ao chegar na entrada da cidade de Nova Floresta, foi dado ordem de parada, a qual foi acatada pelo motorista, JOSÉ MACIEL DOS SANTOS, 20 anosQuando a guarnição desembarcou das motos, o motorista do carro empreendeu fuga em alta velocidade, praticando manobras que estava colocando em risco a vida dos transeuntes e mais uma vez a guarnição teve que persegui-lo, vindo a parar o veículo apenas quando perdeu o controle no meio das manobras que estava realizando; Após revista no carro não foi encontrado nada ilícito, apesar do motorista já responder processo na justiça por porte de arma de fogo, NÃO POSSUIR HABILITAÇÃO  e no momento não apresentar os documentos do veículo.
José Maciel, informou que o carro o seu pai tinha comprado por R$8.000,00 juntamente com o sistema de som, e que sempre compra veículos deste tipo e que é comum já que o seu genitor possui uma sucata na cidade de Parnamirim/RN, próximo ao Posto da Polícia Rodoviária e informou aos policiais que já teve época de ter de 15 veículos dessa forma em sua sucata para desmanche; Após a guarnição verificar no sistema, constatou que o veículo possuí restrição Judicial, e logo em seguida conduziu para esta Delegacia de Plantão, acusado e veículo APREENDIDO para as providências de praxe.
Vale salientar que dá fim a veículo em nome de outros é crime, no caso deste veículo estava no nome de financiadora, ou seja, pelo que Maciel falou veículos que estão para ser expedido mandados de Apreensão são desmanchados em Sucatas. Infelizmente desta vez Maciel responderá por desacato e dirigir sem habilitação além de realizar manobras perigosas colocando em risco a vida de transeuntes.

Não é por acaso que a "Operação Dolly" realizada entre os estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, teve entre um dos alvos a cidade de Nova Floresta.