Operação da polícia civil da paraíba prende em flagrante cinco pessoas por fraudes em recebimentos de benefícios sociais e pelos crimes de extorsão qualificada e associação criminosa.




A polícia civil da Paraíba, através da delegacia de defraudações e falsificações de João pessoa – ddf – prendeu na manhã desta terça-feira, dia 25 de outubro, cinco pessoas, suspeitas de desvios superiores a 60 mil reais, relacionadas a duas investigações da ddf.
A primeira situação está relacionada a desvio de valores de uma pensão por morte. A suspeita Marcilene Tagino da Silva, de 32 anos de idade, foi presa em flagrante em sua residência situada no bairro de Valentina, João Pessoa/PB, em poder de cartões de benefícios sociais do INSS, através dos quais eram retirados valores mensais de r$ 950,00 há pelo menos 22 meses, resultando em um desvio de mais de r$ 20 mil. a suspeita é tutora legal da vítima, de 19 anos de idade e teria informado à vítima que seu benefício havia cessado quando a mesma completou 18 anos (há 22 meses), no entanto, o benefício de pensão por morte é devido até os 21 anos de idade, de maneira que a suspeita estava sacando mensalmente os valores e se apropriando indevidamente do benefício, o que chegou a comprometer a subsistência da vítima e de seu irmão, que estão desempregados atualmente.
 A suspeita foi presa em flagrante pelo crime de apropriação indébita majorada (qualificada) e será apresentada à audiência de custódia, podendo ser condenada a mais de cinco anos de reclusão.
No segundo caso, quatro pessoas foram presas pela ddf, no município do conde, suspeitas de integrarem uma associação criminosa composta por cinco pessoas (uma delas não foi localizada) formada com o objetivo de extorquir valores de comerciantes daquele município. destaca-se que a associação criminosa é formada pela pessoa de Ayala Silva Bezerra, nora de uma das vítimas. Ayala convivia maritalmente com o filho de uma das vítimas assassinado no dia 27 de setembro, em circunstâncias ainda não esclarecidas, após o assassinato de seu então companheiro, Ayala, em concurso com sua irmã Aryala, com sua genitora Fernanda Silva Sousa e com duas outras pessoas, passaram a extorquir valor